Reflexões Imagéticas - Therese Frare e a Foto que Mudou uma Batalha

REFLEXÕES IMAGÉTICAS com Mark Greathouse

-

Uma das características mais fortes da fotografia é o seu poder nos fazer refletir. A fotografia tem o potencial de alterar o rumo da história simplesmente por nos fazer refletir sobre temas que muitas vezes não são conhecidos do público geral.


Quando a Revista Life, por exemplo, publicou uma foto do ativista anti-AIDS David Kirby em seu leito de morte em 1990, ela foi creditada com a grande reviravolta da atitude acerca dessa doença pandêmica.

Therese Frare


Começava com essa foto, uma progressiva mudança no foco. Ainda que continue sendo uma doença cercada de preconceito até os dias de hoje, a foto deixou explicitamente clara a necessidade de se investir recursos para minimizar o número de pessoas e famílias assolada por essa doença. A imagem foi captada pela fotógrafa de forma simplesmente genial. Observamos nela, aspectos objetivos e subjetivos que tornam essa uma imagem extremamente forte, o que explica a extensão do impacto que causou: a expressão desesperada do pai que abraça o filho moribundo, a mãe e irmã abraçadas, consolando uma a outra, a expressão já sem vida de David em seu leito de morte.


No âmbito subjetivo, detalhes que atiçam a imaginação de quem vê a foto: a sutileza das mãos que seguram as mãos de David, nos fazem imaginar um padre fazendo sua extrema unção. A face de David, magra e barbada, remete à imagem de Jesus Cristo preso à cruz. Acima da cabeça de seu pai, um quadro sacro na parede simboliza, quiçá,

mãos divinas o recebendo em outro plano de existência.

@2019 por Mark Greathouse

©Todas as fotos são de autoria dos professores da Ansel